domingo, 28 de fevereiro de 2010

França: alerta contra iniciativa de confissões pelo telefone

Não estão respaldadas pela Igreja Católica

PARIS, sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- Em um comunicado divulgado nos sites de várias dioceses francesas, o porta-voz da Conferência Episcopal da França, Dom Bernard Podvin, alerta os fiéis contra uma iniciativa privada intitulada “Com o fio do Senhor, confesse-se pelo telefone”.
“Este passo não está respaldado de forma alguma pela Igreja Católica na França”, indica o comunicado de18 de fevereiro.
“A solidão de pessoas idosas e deficientes é um drama humano e espiritual”, afirma Dom Podvin.
O porta-voz dos bispos da França destaca que “um serviço permanente de acolhimento pelo telefone é algo necessário e benéfico”.
“Numerosos organismos religiosos e não confessionais já fizeram um investimento forte nisso”, recorda, e declara: “Os voluntários e profissionais da escuta são, mais que nunca, indispensáveis”.
No entanto, continua Dom Podvin, “é inadmissível criar uma confusão sobre a noção de confissão”.
“Para o fiel católico, esta tem um sentido sacramental que requer a presença efetiva de um sacerdote”, sublinha.
“A coincidência do lançamento desta linha com o início da Quaresma aumentou mais ainda a confusão”, lamenta.
As paróquias, os santuários e as capelanias estabeleceram numerosos plantões de acolhimento para o sacramento da confissão.
E conclui: “Todos nós queremos, evidentemente, neste Ano Sacerdotal, que haja mais sacerdotes para estar perto e disponíveis para ouvir as pessoas”.

O Rosário


Segundo respeitosa tradição, Nossa Senhora revelou a devoção ao Rosário a São Domingos de Gusmão, em 1214, como meio para salvar a Europa de uma heresia. Eram os albigenses, que, como uma epidemia maldita, contagiavam com seus erros outros países, a partir do norte da Itália e da região de Albi, no sul da França. De onde o nome de albigenses atribuído a esses hereges, conhecidos também como cátaros (do grego: puros), pois assim soberbamente se auto-nomeavam.
Eram lobos disfarçados com pele de ovelha, infiltraram-se nos meios católicos para melhor enganar e captar simpatia. Tais hereges pregavam, entre outros erros, o panteísmo, o amor livre, a abolição das riquezas, da hierarquia social e da propriedade particular — salta aos olhos a semelhança com o comunismo.
Várias regiões da Europa do século XIII ficaram infestadas pela heresia albigense, e toda a reação católica visando contê-la mostrava-se ineficaz. Os hereges, após conquistar muitas almas, destruir muitos altares e derramar muito sangue católico, pareciam definitivamente vitoriosos.
São Domingos (mais tarde fundador da Ordem Dominicana) intrepidamente empenhou-se no combate à seita albigense, não conseguindo, porém, sobrepujar o ímpeto dos hereges, que continuavam pervertendo os fiéis católicos. E os que não se pervertiam eram massacrados.
Desolado, São Domingos suplicou à Virgem Santíssima que lhe indicasse uma eficaz arma espiritual capaz de derrotar aqueles terríveis adversários da Santa Igreja.

Rezemos pelo Chile


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Mea culpa,mea culpa,mea máxima culpa .


No Confíteor,recitamos as palavras "mea culpa,mea culpa,mea máxima culpa",pedindo o perdão de nossos pecados.Assim reconhecemos as nossas culpas e nos prostramos diante de Deus para rogar que ele nos perdoe,com o auxílio dos Santos.É interessante notar também que quando dizemos estas palavras batemos no peito,afirmando que é nossa culpa,somente nossa,sendo sinal de humilde arrependimento pedindo a misericórdia divina.Com isto,ou seja depois de recitarmos o Confíteor,estamos seguros para subir ao Presbitério,pois estamos lavados de nossas faltas.

Casula

Bento XVI, usando uma casula semi-gótica.
Casula Cônica

Casula Renascentista


Casula Gótica



Casula Romana
A casula é uma veste litúrgica que é frequentemente confeccionada em seda ou damasco, em paramentos do século XVII e/ou XVIII. As cores variam conforme o rito litúrgico. Utiliza-se sobre a alva e a estola durante a celebração da missa.

Pluvial











Pluvial - É um paramento litúrgico usado sobretudo no exterior, mas também dentro das igrejas para bençãos e aspersões com água benta, casamentos sem missa e para os solenes ofícios divinos.




Profanação de igrejas na França: “se for preciso gritar, gritaremos”

Bispo lamenta pouca atenção dada aos ataques

EVRY, sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- Após a profanação da igreja de Morangis, em Essones, na França, o bispo de Evry-Corbeil-Essonnes, Dom Michel Dubost denunciou a “passividade” do poder público.
Em um comunicado divulgado em 19 de fevereiro no website da diocese, Dom Dubost denunciou os “atos de vandalismo” que “profanaram o Santíssimo Sacramento”.
Enquanto “as autoridades, a imprensa e a opinião pública condenaram energicamente os recentes ataques a uma mesquita e a uma sinagoga”, "ninguém se manifestou acerca do ataque à igreja", lamenta o bispo de Evry em comunicado.
Após uma série de furtos e profanações, o prelado propôs a criação de uma comissão para visitar as igrejas e propor medidas concretas visando a melhorar sua segurança contra furtos e atos de vandalismo.
Entretanto, afirmou “ter sido informado de que, juridicamente, não tem esse direito” e que a única resposta aceitável seria “a formação de uma comissão oficial”.
Enquanto isso, “os abusos continuam”, disse o bispo francês, acrescentando que “o poder público passa a ser o único responsável” por sua “passividade”.
“Pessoalmente, não posso aceitar tais profanações. Se for preciso gritar, gritaremos. Afinal, também nós somos cidadãos”.

Restos Mortais de João Paulo II.


Uma vez proclamada a beatificação de João Paulo II,os seus restos mortais serão definitivamente traduzidos para a basílica de São Pedro.'' Confirma o cardeal Angelo Comastri, arcipreste da Basílica e vigário do Papa para a Cidade do Vaticano. Não há ainda um projeto definido, mas temos de avaliar os aspectos técnicos - Comastri, disse na apresentação de um livro na faculdade Teutonic -. No entanto, como o processo está "acabando e João Paulo II vai ser" proclamado bem-aventurado, certamente o seu corpo estará "refletido na basílica".Cardeal Comastri foi explicado que tais projetos serão avaliados em detalhe somente após o encerramento do milagre e da documentação necessária para a beatificação. A este respeito, o cardeal sublinhou que essa parte da processo vai exigir mais tempo e que ainda está para ser apresentada pelo postulador da causa.

Tradução: Caio Vinícius

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Lista de Bispos e Cardeais.


Segue uma lista de Cardeais e Bispos que celebram a missa na Forma Extraordinária do Rito Romano,retirada do site:Una Voce Malaga .

ALEMANHA: Os bispos Dick, Hanke, e Mixa.
ARGENTINA: Os bispos Baseotto, Laise, e Sánchez Sorondo.
AUSTRÁLIA: Cardeal Pell. Os bispos Hart, Elliot, Grech, Coleridge, e Jarret.
BÉLGICA: O bispo Leonard.
BRASIL: Areas Rifán, Silva Matthes, Da Silva, e Guimaraes.
CANADÁ: Os bispos Roussin, Miller, Prendergast, Elliot, Lemay, e Blais.
CHILE: Cardeal Medina Estévez. Arcebispo Piñera Carvallo.
CHINA: Cardeal Zen.
COLÔMBIA: Cardeal Castrillón Hoyos.
DINAMARCA: O bispo Kozon.
ESPANHA: Cardeais Cañizares, Martínez Sistach, Herranz e Navarrete.
ESTADOS UNIDOS: Cardeais Foley, George, Levada e Egan. Os bispos Vann Johnston, D´Arcy, Cordileone, Doran, Blair, Grech, Nienstedt, Bruskewitz, Finn, Morlino, Dewane, Bevard, Serratelli, Perry, Slattery, Burke, Matano, Burbidge, Foleih, Tobin, Hernann, Rhoades, Vigneron, Brunett, Timlin, Conley, Reiss, Di Noia, e Carlson.
FILIPINAS: Os bispos Escaler, Obayan e De Gregorio.
FRANÇA: Cardeais Ving-Trois e Ricard. Os bispos Thomazeau, Scherrer, Madec, Boivineau, Delmas, Guillaume, Rey, Fikart, Aillet, Aumonier, Brouwet, Wintzer, Gaidon, Pansard e Riocreux.
GABÃO: Os bispos Engonel e Madega.
HUNGRIA: Os bispos Varga e Farhat.
ITÁLIA: Cardeais Antonelli, Piovanelli, Poggi, Scola. Os bispos Bettori, Fisichella, Appignanesi, Tardelli, Oliveri, Giovanetti, Brugnaro, Rabitti, Molinari, De Magistris e Ravignani.
IRLANDA: Os bispos Martin e Magee.
CAZAQUISTÃO: O bispo Schneider.
LIECHTENSTEIN: O bispo Haas.
MÔNACO: Arcebispo Barsi.
NIGÉRIA: Os bispos Tochukwu Ukwuoma, e Ochiagha.
NOVA ZELÂNDA: O bispo Meeking.
POLÔNIA: Os bispos Balcerek, Szurek, Golebiewski, Depo, Deca, Malysiak, e Dziuba.
REINO UNIDO: Cardeal O´Brien. Os bispos Stack, McMahon, Kenney, Malcolm, Moran, Arnold, Hopes, Longley.
REPÚBLICA TCHECA: O bispo Baxant. ESLOVÊNIA: Cardeal Franc Rodé.
SRI LANKA: Arcebispo Ranjith.
SUÍÇA: Os bispos Genoud e Huonder.

Índia: retrato blasfemo de Cristo reacende conflitos religiosos

Bispos do país lançam apelo pela paz

ROMA, terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org). – A Índia voltou a ser palco de confrontos entre diferentes grupos religiosos. O estopim da crise foi a publicação de um livro contendo uma imagem de Jesus com uma lata de cerveja numa mão e um cigarro na outra.
A imagem, de acordo com o "L'Osservatore Romano", foi divulgada por diversos veículos de comunicação por todo o país, enquanto que em Punjab foi também exposta em cartazes distribuídos pelas ruas. A tentativa de remoção de alguns destes cartazes por cristãos provocou reações violentas de alguns fundamentalistas hindus.
Os confrontos rapidamente se espalharam. Duas igrejas protestantes foram incendiadas e completamente destruídas, e uma terceira ficou gravemente danificada.
Neste contexto, os bispos indianos fizeram um apelo pela paz, endereçando uma carta oficial de protesto ao ministro nacional da educação, na qual pedem por um maior controle sobre os conteúdos dos livros didáticos.
Padre Babu Joseph, porta-voz da Conferência Episcopal indiana, disse à agência Fides que “não se pode dizer” que o material ofensivo publicado pela editora Skyline Pubblications represente a “opinião direta dos movimentos integralistas hindus”, mas que é certo que a editora é ligada a movimentos de cunho extremista.
“Os bispos condenam este ato blasfemo e renovam seu apelo pela paz em Punjab e em toda a Índia”. Os prelados pediram ainda que o governo da província de Punjab libertasse os 25 cristãos detidos após os confrontos.
“A disseminação das imagens blasfemas pela cidade foi uma operação conduzida por grupos integralistas hindus com o objetivo de criar tensões. O governo da província garantiu que perseguirá os responsáveis”. Thomas Menamparampil, arcebispo de Guwahati, disse esperar por uma “solução pacífica” para a questão.
Em Guwahati será realizada em 3 de março, pela primeira vez na história da Índia, a Assembléia da Conferência Episcopal da Índia (CBCI).
“Os cristãos protestaram pacificamente a nível político e jurídico contra as ofensas” – disse Dom Menamparampil , acrescentando que “o diálogo e a oração são as nossos meios de tratar da questão”.
Para o prelado, “e necessária sempre grande sensibilidade para tratar de símbolos religiosos”, lembrando do caso das charges sobre Maomé na Europa, segundo ele “um caso semelhante”.
“Acredito que a maioria dos fiéis hindus não apoia tais atos. A civilização hindu nutre um profundo respeito pelos símbolos religiosos próprios e de outras religiões. Muitos líderes religiosos hindus condenaram a divulgação da imagem blasfema, bem como diversos líderes muçulmanos. Acredito estes eventos não trarão consequências mais graves”.
Na assembléia do episcopado indiano em Guwahati, ainda de acordo com o "L'Osservatore Romano", será discutido, entre outros, o tema da ideologia da hindutva e suas consequências para a convivência pacífica entre as diferentes comunidades religiosas da Índia.
Em particular, os bispos pretendem analisar a ideologia do Sangh Parivar, um movimento fundamentalista hindu que rejeita a igualdade de direitos entre as diferentes religiões.
Para os prelados, é fundamental distinguir as diferenças entre os princípios do hinduísmo e as crenças do hindutva: o hinduísmo é uma religião, enquanto que o hindutva é um movimento político nacionalista que recorre à religião para legitimar suas posições.
“Esta ideologia fundamentalista se opõe fortemente à liberdade religiosa garantida pela Constituição indiana”, “negando a realidade multirreligiosa e multi-cultural do país”, acrescentam os bispos.
Diante desta realidade, os bispos propõem “promover o diálogo inter-religioso”, um empenho que segundo eles deve ser “constante para todos os cristãos”.

Turim se prepara para exposição do Santo Sudário


De 10 de abril a 23 de maio, a síndone estará exposta aos peregrinos
TURIM, quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- Mais de um milhão de peregrinos fizeram suas reservas para poder ver o Santo Sudário, que estará exposto, depois de 10 anos, na Catedral de Turim de 10 de abril a 23 de maio.
A reserva pode ser feita pelo site http://www.sindone.org/. Só da Itália, já foram feitas 963.639 reservas. Também já garantiram sua presença peregrinos da Argentina, Burkina Faso, Japão e Rússia, entre muitos outros países, para orar ou simplesmente observar o tecido que, segundo a tradição, envolveu o corpo de Jesus depois da crucifixão.
Por isso, a prefeitura de Turim está realizando todos os preparativos para acolher os muitos fiéis e turistas que virão nesses dias: cerca de 4.500 voluntários estão sendo treinados para ajudar na logística, segundo informa Maurizio Bardello, diretor do Comitê para a Ostensão do Santo Sudário.
Além desta visita, os peregrinos poderão fazer adoração eucarística e confessar-se, no Palácio Chiablese, que foi reformado.
Além dos aspectos econômicos, deu-se uma particular atenção ao cuidado do ambiente, com o uso de materiais ecológicos e a adoção de solução de baixo impacto ambiental.
O que os peregrinos verão em Turim? “Um lençol de linho atípico – disse Giuseppe Ghiberti, presidente da Comissão diocesana para o Santo Sudário – com cerca de 4,41 metros de altura e 1,13 de largura, que contém a figura de um homem morto pela tortura da crucifixão”.
Segundo a tradição, trata-se de um lençol que foi usado para envolver o corpo de Jesus no sepulcro; de fato, “é uma imagem fidelíssima, um espelho da narração literária dos Evangelhos com relação à morte de Jesus”.
Quanto à data de antiguidade desta valiosa relíquia, existem “duas opiniões acerca da procedência da época romana ou medieval. Nenhum cientista sério pode afirmar com segurança como a imagem se formou sobre o tecido. São muitas as hipóteses, mas não há nenhuma resposta”.
Por que a Igreja se interessa por isso? “Ao ser um eco da mensagem do Evangelho – explicou Ghiberti –, ele se converte em um instrumento de evangelização e, por isso, em uma responsabilidade neste sentido, para a Igreja inteira.”
O caráter científico do Santo Sudário começou a ser estudado a partir de 1898, quando um fotógrafo de Turim constatou que o negativo das imagens representa o corpo e o rosto de um homem crucificado segundo a narração evangélica.
Em 1989, foi submetido à prova do carbono 14. Os cientistas afirmaram que era um tecido fabricado entre 1260 e 1390. Especialistas de prestígio científico criticaram tais exames, por considerarem que não tiveram o rigor necessário e que foram estudadas apenas algumas partes do tecido, que havia sido remendado na Idade Média.
Ao visitar o Santo Sudário na catedral de Turim, no dia 24 de maio de 1998, João Paulo II explicou que o tecido constitui um “desafio à inteligência”, pela extraordinária crônica visual que oferece da Paixão de Cristo.
O Papa Bento XVI, ao anunciar a ostentação do Santo Sudário, em 2 de junho de 2008, disse que “será uma oportunidade sumamente propícia para contemplar esse misterioso rosto, que silenciosamente fala ao coração dos homens, convidando-os a reconhecer nele o rosto de Deus”.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Grupo de anglicanos australianos anuncia sua adesão ao catolicismo

Primeiro caso depois da publicação da “Anglicanorum coetibus”.

A comunidade Anglicana de Foward in Faith,que tem sua sede na Austrália,poderia ser o primeiro caso de adesão coletiva à plena comunhão com a Igreja Católica depois da publicação da constituição Anglicanorum Coetibus, no último dia 4 de novembro pelo Papa Bento XVI.

Assim deu a conhecer o bispo anglicano David Robarts OAM, em declarações ao jornal australiano The Daily Telegraph, publicadas na terça-feira.
“Amo minha herança anglicana, mas não a perderei ao dar este passo”, assegurou o bispo.

Respeitar a tradição
A comunidade Foward in Faith, presente também na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, buscou permanecer fiel à tradição anglicana e rejeitou algumas modificações, entre elas o exercício do ministério sacerdotal e episcopal por parte das mulheres e a aprovação de alguns sacerdotes, bispos e líderes anglicanos abertamente homossexuais.
E, neste caminho – afirma o bispo –, “procuramos, durante 25 anos, ter algum tipo de supervisão episcopal, mas não conseguimos (...). Já não somos realmente queridos, nossa consciência não foi respeitada”.
Por isso, Robarts afirmou que ele e seus fiéis “vamos seguir este caminho, porque as portas nos foram fechadas na igreja anglicana da Austrália durante um longo tempo”.
E foi assim como, durante uma reunião realizada no último final de semana, cerca de 200 membros votaram unanimemente por voltar à plena e visível comunhão com a Igreja Católica.
Voltar a Roma
Com a publicação da Anglicanorum Coetibus, o Papa Bento XVI introduziu uma nova estrutura canônica que permite aos fiéis ex-anglicanos que entrem em plena comunhão com a Igreja Católica, conservando ao mesmo tempo elementos do patrimônio espiritual e litúrgico anglicano.
A figura dos ordinariatos pessoais, figura canônica de governo não restrita a um território, recorda a figura da prelazia pessoal (a única que existe é o Opus Dei), ou os vicariatos castrenses (diocese sem território na qual um bispo representa a autoridade eclesiástica para os militares ou forças da ordem católicas e suas famílias, independentemente de onde se encontrem).
Segundo o bispo Robarts, os membros desta comunidade, com a supervisão de Dom Peter Elliot, bispo auxiliar de Melbourne, e com a direção da Santa Sé, já começaram com os grupos de trabalho para estabelecer o primeiro ordinariato anglicano que poderia servir de protótipo para os que surgirão posteriormente em outros lugares do mundo.
O bispo David Robarts esclareceu, na entrevista com o The Daily Telegraph, que o passo que a comunidade Foward in Faith pretende dar não é como “quem troca de móveis”.
“Simplesmente estamos dizendo que fomos fiéis ao que os anglicanos acreditaram sempre e que não queremos mudar nada disso, mas nos marginalizaram devido àqueles que querem introduzir algumas ‘inovações’.”
“Precisamos ter bispos que acreditem naquilo que nós acreditamos”, concluiu Robarts.

Deo Gratias !

Fonte: Zenit

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Arquivos secretos vaticanos sobre 2ª Guerra Mundial serão publicados

CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org).- Em breve estará disponível na internet, para acesso gratuito, uma quantidade imensa de documentos da Santa Sé relativos à 2ª Guerra Mundial.
A iniciativa acontece em resposta, por parte do Vaticano, a uma petição da Pave the Way Foundation (PTWF) para digitalizar e publicar 5.125 documentos dos Arquivos Secretos Vaticanos, datados entre março de 1939 e maio de 1945.
Gary Krupp, fundador e presidente da Pave the Way Foundation, anunciou oficialmente a Zenit: “As Actes et Documents du Saint Siège relatifs a la Seconde Guerre Mondiale (Atas e Documentos da Santa Sede relativos à 2ª Guerra Mundial) estarão disponíveis em breve para o estudo mundial online, sem custo algum”.
Os documentos estarão disponíveis tanto no site da Pave the Way Foundation (www.ptwf.org) como no do Vaticano (www.vatican.va), revela Krupp.
A Pave the Way Foundation é uma organização surgida para eliminar os obstáculos entre religiões, fomentar a cooperação e acabar com o abuso da religião para fins partidaristas.
“No desenvolvimento da nossa missão, constatamos que o papado de Pio XII (Eugenio Pacelli) durante a 2ª Guerra Mundial é um motivo de atritos, provocando um impacto em mais de um bilhão de pessoas. A controvérsia se centra em se ele fez o suficiente para prevenir o massacre dos judeus nas mãos dos nazistas”, reconhece Krupp, judeu de Nova York.
“Nossa investigação revelou que, cinco anos depois da morte de Pio XII, os serviços secretos soviéticos, o KGB, organizaram um complô para desacreditar seu inimigo, a Igreja Católica, chamado Seat 12. Um truque sujo, que condenou o Papa Pio XII pelo seu ‘silêncio’ durante o Holocausto, baseado na obra de teatro ‘O vigário’, de Rolf Hochhuth, em 1963”, acrescenta o fundador.
O Papa Paulo VI, em 1964, pediu a uma equipe de três historiadores jesuítas – os padres Pierre Blet, Burkhart Schneider e Angelo Martini – que realizasse uma intensa investigação para procurar documentos relevantes dos anos da guerra, na seção não aberta ao público do Arquivo Secreto Vaticano. Poucos anos depois, o sacerdote americano Robert Graham se uniu ao grupo. Aquela investigação foi recolhida nas atas que agora serão publicadas online. O primeiro dos onze volumes foi publicado em 1965; o último, em 1981.
“Em 1999, o cardeal Edward Cassidy criou uma comissão especial de acadêmicos judeus e católicos para estudar os documentos conjuntamente. Esta iniciativa fracassou no dia 21 de julho de 2001, pois os professores não eram capazes de ler os idiomas dos numerosos documentos. Publicaram uma lista de 47 perguntas e exigiram a abertura dos arquivos entre os anos 1939 e 1958, apesar de não estarem ainda catalogados”, informa Krupp.
Para abrir todos os documentos relativos à 2ª Guerra Mundial do Arquivo Secreto Vaticano, a Santa Sé precisa terminar sua catalogação: cerca de 16 milhões de documentos.
“No cumprimento da nossa missão de divulgar o maior número possível de documentos, para eliminar este obstáculo entre judeus e católicos à luz da verdade documentada, nossa Fundação pediu uma autorização para digitalizar esta coleção e colocá-la à disposição de quem quiser estudá-la.”
Gary Krupp, presidente da Fundação, acrescenta: “Esta iniciativa procura simplesmente mostrar com clareza os esforços de Pio XII para mitigar o sofrimento de tantas pessoas durante a guerra; e mostrar que a ‘lenda negra’ que sujou seu nome simplesmente não é verdadeira”.
“Este acesso que estamos oferecendo não pretende substituir o pleno acesso aos arquivos da 2ª Guerra Mundial, mas mostrará, de maneira única, os esforços de Pio XII e os perigos que ele enfrentou sob a ameaça direta do regime nazista”, indica o fundador.
“Os arquivos secretos vaticanos concernentes até 1939, que foram abertos há dois anos e que mostram 65% do ministério de Pacelli, foram ironicamente ignorados pelos críticos que exigiram sua abertura durante anos”, acrescenta Krupp.
A Pave the Way Foundation agradece à Secretaria de Estado e à Livraria Editora Vaticana pela sua “confiança em nós, ao permitir-nos este privilégio sem precedentes”.
“Esperamos sinceramente que os historiadores internacionais estudem com muita atenção estes documentos. Calculamos que a digitalização destas mais de 9 mil páginas leve cerca de quatro semanas e, quando terminarmos, publicaremos tudo na internet”.
“Enquanto isso, já temos online (www.ptwf.org) milhares de documentos e vídeos de testemunhas para o estudo.”
“Pedimos que os investigadores franceses, italianos e alemães nos ajudem a traduzir documentos para o inglês e enviem este trabalho à Pave the Way Foundation, para que coloquemos a informação ao alcance do maior número possível de acadêmicos, para o estudo. Também gostaríamos de receber todo tipo de comentários, positivos ou negativos, sobre o conteúdo destes documentos”, conclui Krupp.

Neva no Vaticano


Hoje a Praça de São Pedro estava branca.Depois de 24 anos a neve volta ao Vaticano.

Papa fala aos bispos romenos

"As famílias católicas não são imunes à praga do aborto, da corrupção, alcoolismo e drogas, bem como do controle de natalidade mediante métodos contrários à dignidade da pessoa humana. Para combater esses desafios, deve-se promover um aconselhamento paroquial que assegure uma adequada preparação para a vida conjugal e familiar, bem como organizar melhor a partoral juvenil", sublinha o Papa.Bento XVI fez as indicações aos Bispos da Conferência Episcopal da Romênia, recebidos em audiência na manhã desta sexta-feira, 12, durante a visita ad Limina."O florescimento de vocações sacerdotais e religiosas depende, em boa parte, da saúde moral e religiosa das famílias cristãs. Infelizmente, em nosso tempo, não são poucas as armadilhas para a instituição familiar em uma sociedade secularizada e desorientada", disse.Frente a esses problemas, Bento XVI assegura que a Igreja deseja oferecer uma contribuição determinante e que permita lidar de frente com o processo de secularização em curso.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Nossa Senhora de Lourdes



As aparições de Nossa Senhora de Lourdes começaram no dia 11 de fevereiro de 1858, quando Bernadette Soubirous, camponesa com 14 anos, foi questionada por sua mãe, pois afirmava ter visto uma "dama" na gruta de Massabielle, cerca de uma milha da cidade, enquanto ela estava recolhendo lenha com a irmã e um amigo. A "dama" também apareceu em outras ocasiões para Bernadette até os dezessete anos.
Bernadette Soubirous foi canonizada como santa, e muitos católicos acreditam que suas visões seriam da Virgem Maria. A primeira aparição da "Senhora", relatada por Bernadette foi em 11 de fevereiro. O Papa Pio IX autorizou o bispo local para permitir a veneração da Virgem Maria em Lourdes, em 1862.
Em 11 de Fevereiro de 1858, Bernadette Soubirous foi com a irmã Toinette e Jeanne Abadie para recolher um pouco de lenha, a fim de vendê-la e poder comprar pão. Quando ela tirou os sapatos e as meias para atravessar a água, junto à gruta de Massabielle, ela ouviu o som de duas rajadas de vento, mas as árvores e arbustos não se mexaram. Bernadette viu uma luz na gruta e uma menina, tão pequena como ela, vestida de branco, com uma faixa-azul presa em sua cintura com um rosário em suas mãos em oração e rosas de ouro amarelo, uma em cada pé. Bernadette tentou manter isso em segredo, mas Toinette disse a mãe. Por essa razão ela e sua irmã receberam castigo corporal pela sua história. Três dias depois, Bernadete voltou à gruta com as outras duas meninas. Ela trouxe água benta para utilizar na aparição, a fim testá-la e saber se não "era maligna", porém a visão apenas inclinou a cabeça com gratidão, quando a água foi dada a ela.Em 18 de fevereiro, ela foi informada pela senhora para retornar à gruta, durante um período de duas semanas. A senhora teria dito: "Eu prometo fazer você feliz não neste mundo, mas no próximo".Após a notícia se espalhar, as autoridades policiais e municipais começaram a ter interesse. Bernadette foi proibida pelos pais e o comissário de polícia Jacomet para ir lá novamente, mas ela foi assim mesmo. No dia 24 de Fevereiro, a aparição pediu oração e penitência pela conversão dos pecadores. No dia seguinte, a aparição convidou Bernadette a cavar o chão e beber a água da nascente que encontrou lá. Como a notícia se espalhou, essa água, foi administrada em pacientes de todos os tipos, e muitas curas milagrosas foram noticiadas. Sete dessas curas foram confirmados como desprovidas de qualquer explicação médica pelo professor Verges, em 1860. A primeira pessoa com um milagre certificado era uma mulher, cuja mão direita tinha sido deformada em conseqüência de um acidente. O governo vedou a Gruta e emitiu sanções mais duras para alguém que tentasse chegar perto da área fora dos limites. No processo, as aparições de Lourdes tornaram-se uma questão nacional na França, resultando na intervenção do imperador Napoleão III, com uma ordem para reabrir a gruta em 4 de Outubro de 1858. A Igreja decidiu ficar completamente longe da polêmica.
Bernadette, conhecendo as localidades bem, conseguiu visitar a gruta à noite, mesmo quando vedada pelo governo. Lá, em 25 de março, a aparição lhe disse: "Eu sou a Imaculada Conceição" ("que soy era Immaculada concepciou"). No domingo de Páscoa, 7 de abril, o médico examinou Bernadette e observou que suas mãos seguravam uma vela acesa e mesmo assim não possuiam qualquer queimaduras.Em 16 de Julho, Bernadette foi pela última vez à Gruta e relatou que "Eu nunca a tinha visto tão bonita antes". A Igreja, diante de perguntas de nível nacional, decidiu instituir uma comissão de inquérito, em 17 de Novembro de 1858. Em 18 de Janeiro de 1860, o bispo local declarou que: "A Virgem Maria apareceram de fato a Bernadette Soubirous". Estes eventos estabeleceram o culto mariano de Lourdes, que, juntamente com Fátima, é um dos santuários marianos mais freqüentados no mundo, ao qual viajam anualmente entre 4 e 6 milhões de peregrinos.
A veracidade das aparições de Lourdes não são um artigo de fé para os católicos. Não obstante todos os últimos Papas visitaram este local. Bento XV, Pio XI e João XXIII foram quando ainda eram bispos, Pio XII, como delegado papal. Ele também declarou uma peregrinação a Lourdes em uma encíclica na comemoração sobre o 100º aniversário das aparições, completados em 1958. João Paulo II visitou Lourdes três vezes e o Papa Bento XVI concluiu uma visita lá em 15 de setembro de 2008 para comemorar o 150º aniversário das aparições em 1858.
Em 18 de janeiro de 1862, Dom Laurence, bispo de Tarbes, deu a declaração solene: "Inspirados pela Comissão composta por sábios, doutores e experientes sacerdotes que questionaram a criança, estudaram os fatos, examinaram tudo e pesaram todas as provas. Chamamos também a ciência, e estamos convencidos de que as aparições são sobrenaturais e divinas, e que por conseqüência, o que Bernadette viu foi a Santíssima Virgem Maria. Nossas convicções são baseadas no depoimento de Bernadette, mas, sobretudo, sobre as coisas que têm acontecido, coisas que não podem ser outra coisa senão uma intervenção divina."
A Igreja Católica celebra uma missa em honra de Nossa Senhora de Lourdes (memória facultativa), em muitos países, em 11 de fevereiro de cada ano - o aniversário da primeira aparição. Havia uma longa tradição de interpretar o Cântico dos Cânticos (4,7) - "Tu és toda formosa, meu amor, não há mancha em ti", como uma alegoria à imaculada conceição e às aparições de Lourdes, isso até a reforma litúrgica na sequência do Concílio Vaticano II.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Sermão da Verdade


Precisamos compreender que o mundo atual está doente de algo chamado: pruridos (coceira) de novidade. Vamos à Missa com a mesma disposição de quem vai ao cinema, em busca de novidades. Quando as equipes de liturgia se reúnem já pensam logo em fazer algo diferente, como se a Missa fosse um cinema. Isso é pruridos de novidade. Se continuarmos com isso, nossa geração será uma geração maldita, porque seremos nós, em 2 mil anos de cristianismo, os únicos que traíram a fé. Porque hoje cremos no Cristianismo? Porque homens e mulheres de fé não quiseram mudar uma vírgula daquilo que receberam da fé e tiveram o cuidado de transmitir a nós. Se os mártires se recusassem a passar pelo que passaram e resolvessem mudar a fé, adaptá-la ao mundo moderno, não teríamos a fé que temos hoje. A Igreja tem que criar mecanismos de fidelidade, de forma que a Palavra que pregamos hoje seja a mesma Palavra que os apóstolos pregaram.O sacramento que celebramos hoje não é inventado por mim, padre Paulo Ricardo. Se fosse assim, não valeria a pena. Um bom padre é sempre um padre conservador. Padre que quer se adaptar à novidade não é bom padre. Bom padre é aquele que conserva a Palavra de Deus a mesma Palavra que receberam os apóstolos. Precisamos nos preocupar de que a Palavra que pregamos seja a mesma Palavra que os mártires pregaram, que santificou tanta gente antes de nós. São Paulo é o homem da Tradição: "o que eu recebi eu também vos transmito." Quem dera tivéssemos o mesmo amor pela fidelidade: transmitir somente o que recebemos. É claro que podemos falar isso com uma linguagem moderna, de forma que o mundo compreenda, mas sem trair a tradição, num ritmo que mundo entenda. Hoje, dia da padroeira dos músicos, vocês músicos precisam pegar a palavra que receberam, adaptá-la numa música moderna, cantar uma canção nova, mas sem cantar novidades, sem ser "novidadeiros". Precisamos morrer pela fé, a mesma fé pela qual São Pedro e São Paulo morreram. Precisamos receber a fé, a fé é recebida. Cremos na fé da Igreja. Precisamos crer nisso de verdade. A conversão de Paulo se deu dentro da Igreja, Quando ele cai no chão iluminado pela luz de Cristo, o Senhor diz: "Paulo, porque me persegues?" É por isso que depois Paulo escreve: “somos membros do corpo de Cristo." Jesus mesmo disse: "é a mim que persegues, é o meu corpo." São Paulo faz a experiência de Cristo ressuscitado, vivo na Igreja. E as palavras são do Papa Bento XVI nas catequeses: "Para São Paulo, Jesus não é um personagem da História, do passado, para ele Jesus é uma pessoa viva na Igreja hoje". Está vivo em primeiro lugar, na sua Igreja, na sua Santa Igreja, onde a Palavra de Cristo é proclamada, onde o sacramento de Cristo está presente no altar. Eu, com isso, não estou negando que as outras instituições cristas não possuam elementos de sacramentos, ou da Palavra, mas a Palavra inteira e os sacramento inteiros estão aqui. Alguém pode dizer: mas e os pecados dos bispos, dos padres? Sim, existem membros que pecam, mas a Igreja é imaculada.É preciso crer na Igreja mesmo sabendo de absurdos. Papa Alexandre VI teve 12 filhos e era papa. Parece piada. Mas ainda assim creio que o Papa é infalível. A Igreja diz que o papa é infalível e não impecável. Imaginemos que Lutero fosse santo. Ele, porém, não ensinava santamente. O papa sim, ensina santamente, porque ensina a fé dos apóstolos. A Igreja, em seus ensinamentos, é infalível. Você pode vasculhar a história da Igreja e me trazer vários pecados dos papas, mas jamais encontrará um papa que contestou o outro. Não encontraremos papas hereges, porque o papa é dotado de assistência espiritual. Creio na presença imaculada de nosso Senhor Jesus Cristo, mesmo na Igreja com seus membros sujos. A Igreja é corpo de Cristo.
Os únicos imaculados são Jesus, que é cabeça da Igreja e Maria, que é membro do corpo, os outros todos são manchados pelo pecado. Mas podemos crer que a Igreja é imaculada porque a fronteira da Igreja passa aqui dentro de mim. Aquela parte de mim que já pertence a Cristo é a Igreja de Cristo. Existe muita tranqueira em mim que não é Igreja. Portanto, eu também sou território de missão. Existe dentro de mim muitas partes que precisam ser conquistadas para Cristo. Preciso usar comigo mesmo uma pedagogia para trazer a Cristo aquilo que em mim ainda não pertence a Ele.Quando escrevi "Um olhar que cura" foi exatamente para traçar um itinerário espiritual para ajudar as pessoas a, lentamente, conquistarem cada vez mais partes de si para Cristo. A terapia das doenças espirituais não foi inventada por mim. A finalidade é pegar a tradição da Igreja, que é o caminho de ir conquistando o terreno missionário que está dentro de nós. Existe uma parte em nós que ainda está doente. O núcleo que já pertence a Cristo precisa lentamente ir conquistando a outra parte que está doente. Cada pecado que cometemos são atos que nos tiram da Igreja. Cada vez que Cristo me permite dar passos de cura, estou voltando para a Igreja. Existe um pedaço de mim que ainda se debate e quer estar fora da Igreja, mas existe um pedação de mim que já se entregou ao Cristo ressuscitado. Aquela parte em mim que proclama o Cristo ressuscitado, é a parte em mim que já está na Igreja e a outra parte que ainda se debate, está ainda “excomungada”. A cura plena, porém, somente na ressurreição dos mortos, na vida eterna.O Papa Bento XVI fala na encíclica Spe Salvi: "o juízo de Deus que vem destruir a injustiça e o purgatório que queima as nossas iniquidades são fontes de esperança cristã." Graças a Deus vamos entrar no céu imaculados. Deus virá para destruir em mim o último átomo de pecado. Mas quem está no purgatório já está salvo. A grande diferença entre os que estão no inferno e os que estão no purgatório é a esperança. Como diz na Divina Comédia, de Dante Alighiere: "deixai toda esperança vós que entrais." Quem entra no inferno deixa para trás toda esperança.Imagina se entrássemos no céu com esse coração que temos, mistura de egoísmo e bondade, generoso e ganancioso, que perdoa, mas guarda magoa. Não somos gente, somos campo de batalha. Não queremos levar esse coração limitado para o céu. Mas nossa certeza é que seremos purificados. Renovemos a nossa fé na Igreja verdadeira e ofereçamos a Ele esse campo de batalhas. Coloquemos na patena essa luta interior que existe dentro de nós.Semana passada eu estava nos EUA, fazia 0 graus. Depois voltei para o Mato Grosso, quase 40 graus. O choque térmico foi muito grande. Na primeira noite que voltei para o Brasil, eu acordei no meio da madrugada gritando por dentro. Em silêncio, parecia clamar misericórdia. Acordei em agonia. Não sabia nem porque. Somos assim. Somos essa luta. Enquanto estivermos nessa terra, estaremos num duelo entre a morte e a vida. Existe em mim algo que é santo e algo que ainda esperneia para se render. Ele virá, depois de não sei quanto tempo de purgatório, Ele virá para enxugar as minhas lágrimas e me chamar para a alegria da eternidade. É essa alegria que queremos celebrar no santo altar do Senhor.


(Padre Paulo Ricardo)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Missa com Sua Excelência Reverendíssima Dom Adalberto OFMcap bispo emérito auxiliar de Fortaleza.

video

Dom Fernando Guimaraes na Signatura Apostólica.



No dia 25 de Janeiro de 2010 o Santo Padre Bento XVI nomeou o Bispo de Garanhuns (PE), Dom Fernando Guimarães, como Membro do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica, em Roma. Juntamente com ele, foram nomeados também Juizes daquele Tribunal o Cardeal Giovanni Lajolo, Presidente do Governadorado do Estado da Cidade do Vaticano, Dom Velasio De Paolis, Presidente da Prefeitura dos Assuntos Econômicos da Santa Sé, Dom Stanislav Zvolensky, Arcebispo de Bratislávia, Dom Filippo Iannone, Bispo de Sora-Aquino-Pontecorvo, e Dom Ryszard Kasyna, Bispo titular de Dices e Auxiliar de GdanskO Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica surgiu no século XIII como auxílio ao Papa na administração da justiça na Igreja. A sua configuração atual foi estabelecida pelo Papa São Pio X em 1909 e, posteriormente, regulada pelo Código de Direito Canonico de 1917. Presidido em nome do Papa por um Cardeal na qualidade de Prefeito, auxiliado por um Bispo na função de Secretário, o Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica é constituido por um Colégio de Juizes nomeados pelo Papa entre os Cardeais e Bispos do mundo, todos especialistas em direito canônico.O Tribunal possui duas secções: a primeira, propriamente judicial, julga em nivel de apelo definitivo os recursos e questões judiciárias pendentes em primeiro e segundo grau, como também julga como instância última os apelos contra decisões dos órgãos da Cúria Romana, funcionando dessa forma como Supremo Tribunal. Na segunda secção, ele exerce também a função de Ministério da Justiça, coordenando e supervisionando as atividades dos Tribunais eclesiásticos da Igreja Católica, tanto a nivel diocesano, como a nivel regional ou nacional.A Dom Fernando Guimarães nossos parabéns por mais este gesto de confiança por parte do Santo Padre, que acompanhamos com nossos orações pelo bom êxito de mais este encargo, que ele assume juntamente com o pastoreio da Diocese de Garanhuns.
Fonte: Diocese de Garanhus

Papa Visitará à Escócia


O Santo Padre,anunciou hoje 5 de fevereiro, em visita Ad limina dos bispos escoceses,que durante sua visita à Grã-Bretanha também irá à Escócia.Assim fez ao receber em audiência os bispos escoceses , quatro dias depois de fazê-lo com seus homônimos ingleses e galeses, na última segunda-feira, momento que aproveitou para confirmar sua visita à Grã-Bretanha.
Tampouco nesta ocasião o pontífice revelou datas concretas, mas afirmou que a visita acontecerá “no final deste ano”.
Assim como aos bispos ingleses e galeses, o Papa pediu aos prelados escoceses que preparassem esta visita apostólica, “alentando vosso povo a rezar para que seja um tempo de graça para o conjunto da comunidade católica”.
“Que aproveitem a oportunidade de aprofundar em sua fé e reavivar seu compromisso de dar testemunho do Evangelho. Como os monges de Iona, que difundiram a mensagem cristã em todo o território escocês, que sejam faróis de fé e santidade para o povo escocês de hoje.”

Restaurado o Monastério mais antigo do mundo.

CAIRO, sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010 (ZENIT.org). – Graças à colaboração das autoridades egípcias, foi possível concluir os trabalhos de restauração do Monastério de Santo Antônio, um dos principais monastérios coptas do Egito e considerado o mais antigo do mundo.
Construído em 356 d.C., o monastério eleva-se aos pés de uma montanha, próximo à gruta na qual Santo Antônio viveu sua vida ascética em isolamento, em uma região vizinha ao deserto oriental e à costa do Mar Vermelho.
Em declarações dadas à ZENIT, o abade Justus, prior do monastério, disse ter “encontrado grande colaboração por parte do ministro da Cultura do Egito, quando reuni-me com ele para pedir auxílio para salvar o monastério”.
A estrada que conduzia ao monastério permaneceu interditada por um longo período na década de 60, devido à guerra com Israel. Hoje, ao contrário, recebe visitantes e peregrinos de todo o mundo – em grande parte, graças aos esforços do Conselho Superior de Antiguidades do país.
Zahi Hawass, diretor do Conselho, disse à ZENIT que “que a beleza deste evento serviu para mostrar a verdadeira face da civilização egípcia, que não faz distinção entre locais sagrados de cristãos, muçulmanos ou judeus”.
Hawass confirmou que muitos dos trabalhadores e especialistas que atuaram na restauração do monastério eram muçulmanos.
Durante os trabalhos, foi descoberta uma câmara que remonta ao ano 400, contendo inscrições em língua copta antiga. “Tratava-se de uma parte perdida de nossa história”, comentou o vigário do monastério, padre Maximos Al Antoni.
As obras de restauração do monastério, que contém sete igrejas em seu interior, duraram oito anos e custaram cerca de 15 milhões de dólares.

Fonte:Zenit

Quaresma: tempo de penitência e jejum.

É comum na Quaresma se cobrir as imagens expostas para veneração pública com um pano roxo,simbolizando penitência,e mostrando a falta de alegria neste tempo.


Quaresma, palavra que vem do latim quadragésima, é o período de quarenta dias que antecedem a festa ápice do cristianismo: a ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa.
A quaresma tem seu inicio na quarta-feira de cinzas e seu término ocorre na quinta-feira santa, na celebração da última ceia de Jesus Cristo com os doze apóstolos.
O tempo da quaresma é de quarenta dias, porém em dias corridos somam quarenta e sete, mas de acordo com o cristianismo, o domingo que já é dedicado como o dia do Senhor, então, os domingos da quaresma não são contados. Após esse período, se inicia o tríduo Pascal, que termina do domingo de páscoa,quaresma também foi conhecida como o periodo de 40 dias que Jesus passou no deserto depois de sua ressurreição.
A Quaresma é o tempo litúrgico de conversão, que a Igreja Católica marca para preparar os fiéis para a grande festa da Páscoa. Durante este período, os seus fiéis são convidados a um período de penitência e meditação, por meio da prática do jejum, da esmola e da oração. Ao longo deste período, sobretudo na liturgia do domingo, é feito um esforço para recuperar o ritmo e estilo de verdadeiros fiéis que pretendem viver como filhos de Deus.

A Igreja Católica propõe, por meio do Evangelho proclamado na Quarta-feira de Cinzas, três grandes linhas de acção: a oração, a penitência e a caridade. Não somente durante a Quaresma, mas em todos os dias de sua vida, o cristão deve buscar o Reino de Deus, ou seja, lutar para que exista justiça, a paz e o amor em toda a humanidade. Os cristãos devem então recolher-se para a reflexão para se aproximar de Deus. Esta busca inclui a oração, a penitência e a caridade, esta última como uma consequência da penitência.

Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Quaresma"

Urna com relíquias de Dom Bosco chega a Fortaleza


Desde o dia 21 de janeiro a urna contendo as relíquias de Dom Bosco percorre algumas cidades do Nordeste brasileiro. A peregrinação foi pensada como uma forma digna de preparação ao bicentenário do Fundador da Congregação Salesiana, Dom Bosco. A visita da urna têm despertado no mundo inteiro, a admiração e a gratidão, que todos tem com a figura do fundador dos salesianos que sempre incentivou a juventude. A urna com as relíquias de Dom Bosco chega a Fortaleza no dia 05 vai para o Colégio Juvenal de Carvalho e Colégio Dom Lustosa, que fica na Avenida João Pessoa, 5920 e no dia 06 seguirá para a Catedral Metropolitana onde haverá missa às 08h30 celebrada por Dom José Antônio. Às 10h30min a urna sairá em carreata solene para o Colégio Salesiano Dom Bosco, na paróquia da Piedade, onde ficará em exposição e visitação durante a tarde e parte da noite. A paróquia da Piedade fica na Rua Joaquim Torres, 185, Joaquim Távora. No dia 07, a urna será transladada para Belém – PA.

Fonte: FM Dom Bosco
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...